segunda-feira, 7 de junho de 2010

Gorete: a cinderela trash do Pânico na TV



Gorete foi o nome mais comentado pelos brasileiros no Twitter e tirou da Globo o primeiro lugar no Ibope. Sucesso estrondoso com uma fórmula que parece nunca perder o encanto. Na insólita versão do Pânico na TV para o conto da Cinderela, Sabrina Sato assume o papel da Fada Madrinha - tendo a mídia como varinha mágica - e realiza os sonhos da protagonista. Para os Irmãos Grimm, à meia noite a carruagem vira abóbora. Gorete ainda deve posar pelada.

A nova Cinderela desfilou em um evento de moda em São Paulo sorrindo bastante agora que tinha dentes e balançando o longo aplique capilar de 3.800 reais. O vestido da versão clássica do conto era feito de retalhos, mas em uma releitura contemporânea, nada mais coerente do que servir para merchandising de alguma grife. O contraste entre a Gorete de hoje e a antes conhecida como Paula Veludo, cujas participações no Pânico variavam de papéis de bruxa a vampira, é que precisava chocar, numa época em que fórmulas como essa já foram quase esgotadas. Conseguiu. A plateia entusiasmada grita o nome de Gorete. O desfile é seu baile encantado; a glória, o seu príncipe.

Antes do evento, a mulher feia que demorou quase meia hora para conseguir ajuda para trocar um pneu, agora transformada - se não em Gisele Bündchen como queria, ao menos um tanto mais jeitosa – espera apenas poucos segundos até um jovem rapaz se dispor a fazer o serviço. Na história de Gorete, ao empurrãozinho na capacidade de despertar desejo sexual ou simpatia, soma-se a espécie de mutação que a fez se tornar o foco do interesse da massa. O conto do vestido rosa e as pernas de fora de Geisy Arruda já se perdia de vista antes do final feliz - talvez ligado a alguma das produtoras de filmes pornôs que mostraram interesse em um contrato - e Gorete teve seu caminho facilitado. O Pânico e a mídia também participaram da transformação de Geyse, mas nesse caso os chamados bons costumes e um senso de moralidade medieval é que por ainda terem força suficiente para dividir opiniões, fizeram as vezes de fada-madrinha.

Histórias como a das duas e de quaisquer outras cinderelas não remetem a um espaço ou tempo determinado. Sua origem é desconhecida, encontrando-se registros sem relação alguma entre milhares de anos. Kant, na Crítica da Razão Pura, apresenta a base para a compreensão do que é inato ao homem, do que tem como alicerce algo a priori, independente de qualquer experiência obtida através dos sentidos. Trata-se entre outras coisas, da busca por Deus, mas também pode profetizar o eterno retorno do fascínio exercido por contos como esses. Geyse e Gorete são personagens bem diferentes, assim como a Linda Mulher de Júlia Roberts tampouco se parece com algum vencedor de reality show. Apenas compartilham o destino de terem se tornado a representação de um arquétipo. Um desejo humano, demasiado humano, de ser reconhecido e tratado como especial por alguma força superior, mesmo sendo apenas mais um. Somente uma forma de vida, entre o infinito de possibilidades do universo, e não a imagem e semelhança do próprio Criador; apenas uma pessoa parecida com tantas outras, escolhida ao acaso, ou por um milionário no cinema ou por um programa na TV. Gorete faz sucesso porque toda mulher que se ache feia provavelmente quer ser bonita; porque toda a raça humana quer ser salva.

15 comentários:

Rudá! disse...

A mídia faz aquilo que lhe dá retorno em relação a Ibope. Enquanto tiver quem assista a essas histórias trash, teremos que aguentar esse tipo de programação. Mudar de canal, às vezes é inutil, tamanha a disseminação do fútil.

Ludeee disse...

ela ficou bonita msm

Belle disse...

ten certas coisas hj em dia que são inacreditaveis

Rogerio disse...

que mudança hem...quem saio ganhando foi ela...que ganhou essa extraordinária mudança...

Neuro-Musical disse...

Apesar de tudo, acho que, dessa vez, o Pânico fez em prol da auto-estima da Goreta. Isso rendeu muita audiência de fato, porém, o jeito que Emilio Surita a tratou quando ela foi no palco, foi algo muito bonito de se ver.

Eu pude enxergar que ele fez isso de coração e ajudou uma mulher que, de fato, necessitava de ajuda na estética e na auto-estima. Pode ter certeza que era bem baixa antes dessa transformação. Ela ficou simplesmente bonita!

http://cerebro-musical.blogspot.com

Macaco Pipi disse...

ATÉ ISSO NO PANICO É MAIS LEGAL QUE NOS OUTROS:p

indivídua disse...

"Dependente de migalhas de reconhecimento, de boa educação,
De merecimento de um olhar"

belo texto, estava pensando algo parecido hoje...

Fábio Flora disse...

A história da Cinderela pode ser repetida mil vezes (e já foi), e continuaremos acreditando nela (na história). Todos querem uma fada-madrinha, alguém que realize nossos sonhos, que nos tire do lugar comum. A saga de Gorete foi mais uma grande sacada do Pânico na TV.
Abraços e sucesso com o blog!

Inez disse...

Não existe gente feia, existe gente sem dinheiro que sempre sonha com a fada madrinha e no caso da Gorete ela representa milhares de outras Goretes que teve seu sonho realizado desta forma dando as outras a esperança e audiência para o programa.

Yanka Vaz disse...

Deeeus, como pode ser a mesma pessoa?

Caetano Lorenzetti disse...

É, dessa vez tenho que bater palmas para o pânico..
http://analisefc.blogspot.com/

Jeh Pagliai disse...

Gente, vi essa transformação e não acreditei!
A moça renasceu das cinzas, literalmente... Ficou lindaa!

Beijinhos

---
www.jehjeh.com

blogattao disse...

beleza significa $$$

Parabéns pelo post...ótimo texto

qualquer coisa faz uma visitinha...

parabéns

Arthur D'mello disse...

e ela ficou a cara da márcia mesmo rsrsr
feiura é uma questão de ótica.
Todos insatisfeitos buscam por uma transformação, e o povo adora ver isso.

KGeo disse...

esse negocio mostrou que não existe pessoa feia só com menos dinheiro.